LexPsique – Formação e Consultoria, Lda.

Formação e Consultoria em Ciências Forenses e Crimonológicas

Voluntariado no âmbito das olímpiadas bancárias do Millenium Bim — Novembro 9, 2018
Tv Miramar e a Psicologia Forense em Moçambique —
As marcas da Psicologia em Moçambique —
Jornal DOMINGO 22 de Julho 2018 —
PSICÓLOGOS ACOMPANHAM ALUNOS APÓS DESMAIOS EM ESCOLA DE MOÇAMBIQUE —

PSICÓLOGOS ACOMPANHAM ALUNOS APÓS DESMAIOS EM ESCOLA DE MOÇAMBIQUE

PSICÓLOGOS ACOMPANHAM ALUNOS APÓS DESMAIOS EM ESCOLA DE MOÇAMBIQUE

Nampula, Moçambique, 02 jun (Lusa) – Uma equipa de psicólogos está a acompanhar 10 alunos de uma escola de Nampula, norte de Moçambique, que têm desmaiado na sala de aula, disse hoje à Lusa Francisco Armando, dirigente provincial dos serviços de saúde mental.

O caso pode estar ligado a um “transtorno emocional, uma histeria coletiva” ou ser consequência de fraca alimentação, referiu aquele responsável, acrescentando que o acompanhamento deverá durar 60 dias.

Martinho Manuel foi chamado na última semana à escola para socorrer a sobrinha, que havia desmaiado.

A aluna ficou quase três horas adormecida, disse o familiar à Lusa, e quando acordou mal conseguia falar.

Os desmaios aconteceram no último mês na escola secundária Marcelino dos Santos, mas há relatos publicados na Internet sobre casos semelhantes noutros pontos do país.

Neste tipo de situações, é comum as comunidades locais associarem os desmaios a crenças e o mesmo aconteceu em relação aos recentes episódios em Nampula.

Pais, encarregados de educação e autoridades da escola fazem uma interpretação sobrenatural do fenómeno e disseram à Lusa que acreditam estar relacionado com “espíritos de antepassados” da região onde se localiza a escola.

Joaquim Nhiga, diretor pedagógico do segundo ciclo da escola, considera que uma solução à vista é a realização “de uma cerimónia tradicional”.

No dia 28 de maio, vários alunos levaram pneus e combustível para incendiar parte do estabelecimento de ensino, julgando ser a melhorar forma de afugentar os maus espíritos.

Os alunos foram travados pelas autoridades da escola, que decidiram convocar uma reunião com os encarregados de educação a fim de se encontrar uma solução que não comprometa o normal decurso das aulas.

“Desmaios coletivos em si não são normais”, disse à Lusa a psicóloga e docente Dália Matsinhe, considerando que se trata de um processo de “auto-sugestão” que as crianças desenvolvem ao ver uma outra aluna a desmaiar.

“Tem de haver uma explicação e, na minha opinião, as crianças acabam sendo influenciadas umas pelas outras. Mas, pela gravidade do assunto, só um estudo profundo, indo às escolas, poderá identificar o problema real e a possível solução “, explicou.

Também a psicóloga Ruthe Novele considera que se trata de um “comportamento das multidões”, apontando também para a influência de uns sobre os outros.

LFO // FPA

Lusa/fim

 

Em entrevista para um jornal de domingo, com a simpática e profissional CAROL BANZE. —
Curso de Formação em Psicologia Forense —

Curso de Formação em Psicologia Forense

A LexPsique, por intermédio da Dra. Dália Matsinhe, tem o prazer de convidar todos os advogados inscritos na Ordem a frequentarem o Curso De Formação Em Psicologia Forense, que terá lugar nas instalações do HOSPITAL PRIVADO DE MAPUTO, de 19 a 30 de Agosto de 2013.

Este curso foi concebido para preencher as necessidades de estudantes ou técnicos interessados em desenvolver uma carreira enquanto peritos forenses. Assim, de modo a aumentar as hipóteses relacionadas com concursos de recrutamento de peritos forenses, a Equipa LexPsique elaborou este programa onde os formandos poderão beneficiar duma panóplia de assuntos encontrados no desenvolvimento do trabalho em Tribunal, Hospitais e demais entidades que requerem o serviço de técnicos com conhecimentos especializados relacionados com a temática do curso. Este programa inclui técnicas apropriadas à abordagem com vítimas, reclusos, entre outros actores da esfera forense, como orientações para iniciantes e não só.

Dado estarmos a uma semana do evento, as inscrições efectivadas (inscrição e pagamento/deposito) até a manhã de segunda-feira do dia 12 de Agosto de 2013, beneficiarão de um desconto de 1970 meticais. Não pagam 9852 e sim 7882 meticais.

Formadora: Helena Amaro (Psicóloga, proveniente de Portugal)

Palestrante convidado: Télio Chamuço (advogado, inscrito na Ordem dos Advogados de Moçambique)”

LINK: http://www.oam.org.mz/curso-de-formacao-em-psicologia-forense/

Maputo acolhe curso de psicologia forense —

Maputo acolhe curso de psicologia forense

Publicado: Segunda, 19 Agosto 2013 10:37


“Arranca hoje e por 10 dias, no recinto do Hospital Privado de Maputo, um curso de psicologia forense. A iniciativa irá ajudar a perceber sinais em indivíduos que eventualmente possam ter praticado crime e/ou vítimas.

A iniciativa é um projecto de Dália Matsinhe, psicóloga moçambicana radicada em Portugal que em conjunto com colegas seus naquele país europeu faz consulta de psicologia e vende serviços de formação.

“É pela primeira vez que promovo o curso em Moçambique. Pesou para o facto, a vontade de fazer algo por Moçambique porque eu nasci aqui e, porque conclui nas minhas pesquisas que havia uma lacuna nesta área”, explicou.

Participam no curso para além de estudantes, outros interessados da área de advocacia, medicina, enfermagem, professores, pois segundo a organizadora, a informação deste curso interessa a qualquer técnico ou profissional que trabalhe com potenciais vítimas de crimes.

O curso terá como facilitadora a Professora Helena Amaro que lecciona psicologia forense em Coimbra. Localmente, foi convidado como facilitador Félix Chamusse, que irá falar sobre a legislação moçambicana em relação à saúde mental.

Sobre a importância deste curso, ouvimos o psicólogo Narciso Faduco que deu enfoque às diferentes áreas relacionadas.

Falou da psicologia jurídica, uma vertente de estudo da psicologia consistente na aplicação dos conhecimentos psicológicos aos assuntos relacionados ao Direito principalmente quanto à saúde mental, quanto aos estudos socio-jurídicos dos crimes, quanto à personalidade da pessoa natural e seus embates subjectivos. Por esta razão, explica, a psicologia forense tem se dividido em outros ramos de estudo, de acordo com as matérias a que se referirem.

Adiantou que existem vários objectos de estudos e prática, desde a psicanálise forense mais genérica e que aborda o sistema jurídico como um todo sob perspectivas psicológicas, psicologia criminal, psicologia obrigacional e do consumidor, também designado psicologia civil, psicologia da família, psicopatologia trabalhista, psicologia trabalhista judiciária que também envolve cartórios judiciais, devido ao aumento significativo de processos.

São no total quatro horas de segunda à sexta-feira o que irá perfazer 40 horas. Dália Matsinhe disse estar com uma boa impressão à primeira vista, dada a adesão de interessados, ainda que não tenha avançado o número total de cursantes.”

LINK:http://www.jornalnoticias.co.mz/index.php/ciencia-e-ambiente/1248-maputo-acolhe-curso-de-psicologia-forense.html